Enredo
Liberdade…
O Canto Retumbante De Um Povo Heroico.

Sinopse
O mapa de nossa história é traçado por cantos,
brados, clamores por justiça. Desde tempos
imemoriais entoamos nossa voz em busca de
liberdade e igualdade. Vozes se levantam contra o
opressor, que já nos primórdios tentava vilipendiar
nossa cultura, nosso maior legado. Em uníssono,
esse clamor de luta e resistência ainda ressoa por
todos os dias vividos e pelos que ainda estão por vir.
Todos juntos somos mais fortes. Nós somos este
canto.
A busca da perfeição através da fé vem de
tempos remotos, e fazem parte da nossa evolução.
Juntos forjamos a resistência através de lutas,
guerras e cantos de liberdade, conquistamos
fronteiras, quebramos tabus e hoje buscamos
novamente a dignidade que sempre nos foi roubada.
Somos a força do índio guerreiro, o lamento
sufocante dos navios negreiros o grito e a força
resiliente dos quilombos, somos a luta dos
inconfidentes na busca incessante pela liberdade.
Somos a resistência de um povo aguerrido, que por
nada desiste, somos o canto da alma e da dor.
Somos aqueles que empunharam armas, ferramentas
cortantes nas lutas por igualdade, direitos sociais, em
que, entre guerra e paz, paz e guerra construíram a
confiança e esperança de um amanhã melhor.

Somos o clamor do homem do campo, a voz
incansável de uma nação, o canto mais forte do
trabalhador que, mesmo na dor, encontra forças para
continuar.
Hoje eu faço parte deste canto que ecoa nesta
avenida, traçando um paralelo entre a realidade e a
fantasia, somos a voz, o grito entalado na garganta,
os que sobreviveram, os que resistiram e formaram o
arcabouço de uma miscigenação, a esperança mesmo
que tardia, que nos faz um povo de alegria na
adversidade, melodia de vitória e luta, somos esta
nação, a sua voz, a força que resiste nesta Pátria
chamada Brasil.
Dione Leite
CARNAVALESCO